A presidente do Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa), Sílvia Tavares participou na quinta-feira, 15 de agosto, da cerimônia de abertura do Simpósio de Fonoaudiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O evento acontece no Auditório Quinhentão, localizado no Centro de Ciências da Saúde da instituição e celebra os 25 anos do curso de graduação em Fonoaudiologia da universidade. Cerca 600 pessoas entre acadêmicos, profissionais da área e professores participam das atividades que terminam nesta sexta-feira.

Durante sua exposição, Sílvia Tavares agradeceu o empenho de todos os profissionais da universidade na construção e manutenção da graduação em fonoaudiologia da UFRJ, avaliada como uma das melhores do país. “Em nome do Conselho Federal, quero agradecer aos professores que formam profissionais humanos, críticos e generalistas, que tanto ajudam a nossa população”, disse.

Já a diretora do CREFONO 1ª Região, Priscilla Galindo, reforçou que um dos propósitos do simpósio é comemorar o amadurecimento da fonoaudiologia no Rio de Janeiro e ainda comentou sobre a importância de proximidade entre o conselho a universidade. “O CREFONO está de portas abertas para a academia também. Queremos contar com a contribuição de todos na construção de uma Fonoaudiologia mais humana e participativa”, comentou.

A vice-presidente da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa), Leslie Piccolotto, também esteve presente à cerimônia e parabenizou a UFRJ pelo amadurecimento do curso de graduação. Ela ainda convidou os presentes a estarem juntos no congresso internacional da categoria, que será realizado em Minas Gerais, no mês de outubro. “Queremos contar com a participação do Rio de Janeiro em nosso próximo congresso. Precisamos consolidar essa união, sindicatos, conselhos e associações. Precisamos estar juntos”, completou.

Mestrado e doutorado em reabilitação

Durante a cerimônia, o diretor da Faculdade de Medicina da UFRJ, Roberto Medronho, anunciou a criação do mestrado e doutorado em Reabilitação em Ciências da Saúde, que envolverá os cursos de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional.  A medida, no entanto, depende de uma confirmação da reitoria da universidade, que irá submeter a proposta à CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). A estimativa é que as primeiras vagas já sejam abertas durante o ano que vem.

25ANOS_UFRJ-site

Responda