O Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa) vem posicionando-se contra os cursos de graduação em Fonoaudiologia na modalidade a distância em diversas oportunidades.

A oferta de cursos de graduação na área da saúde na modalidade a distância vem crescendo nos últimos anos. O CFFa vem trabalhando no combate à expansão desregulamentada desses cursos, em conjunto com outros conselhos profissionais, entidades científicas e outros setores do controle social, por compreender que a formação em saúde possui especificidades que precisam ser respeitadas por envolver riscos diretos à população.

Em nota pública do Conselho Nacional de Saúde subscrita pelo CFFa e outras entidades, há o posicionamento claro de que a formação em saúde não se restringe aos conteúdos teóricos. Além de todo o conhecimento necessário para a atuação profissional, a formação em saúde exige o desenvolvimento de habilidades e atitudes humanizadas que não podem ser obtidas por meio da modalidade EaD, sem contato direto com o ser humano, haja vista que esses componentes da formação são incorporados nas práticas inter-relacionais.

A integração entre o ensino, os serviços de saúde e a comunidade, com estudantes inseridos nos espaços de práticas do Sistema Único de Saúde (SUS) e outros equipamentos sociais, deve ocorrer durante todo o curso de graduação, a partir dos primeiros períodos de formação. Consolidar a relação entre os conteúdos teóricos e as práticas é indispensável para assegurar que os futuros profissionais tenham compromisso com a realidade de saúde do seu país e da sua região.

Nesta perspectiva, o CFFa vem desenvolvendo diversas ações em conjunto com o Conselho Nacional de Saúde; Fórum dos Conselhos Federais da Área da Saúde – FCFAS; Fórum dos Conselhos Profissionais de Profissões Regulamentadas e Comissão Intersetorial de Recursos Humanos e Relações de Trabalho – CIRHRT, entidades das quais é integrante, na tentativa de conscientizar a sociedade e os órgãos reguladores da gravidade do tema.

O CFFa, em todas essas instâncias, discutiu e traçou estratégias para dialogar com o Ministério da Educação, órgão que regulamenta e autoriza a oferta tanto dos cursos presenciais como dos cursos a distância no Brasil, a fim de garantir a formação dos(as) trabalhadores(as) da área da saúde por meio de cursos presenciais.

Dentre as ações realizadas recentemente, o CFFa participou da audiência pública na Câmara dos Deputados para discutir os PL 5414/2016 e PL 1171/2019 que, se aprovados, vedam o crescimento de cursos a distância na área da saúde e participou do I Encontro de Formação em Saúde realizado pelo FCFAS que traçou estratégias a serem adotadas por todos os conselhos profissionais junto ao MEC.

Seguem links de notas publicadas e as matérias veiculadas no site do CFFa sobre o assunto:

CNS é contra ensino à distância de cursos na área da saúde
 
CFFa solicita suspensão de curso de fonoaudiologia à distância
 
Encontro do FCFAS discute Ensino a Distancia na graduação
 
Nota oficial do Fórum Permanente – o ensino superior na visão dos conselhos federais de profissões regulamentadas
 
Nota pública: contra a graduação a distância na área da saúde
 
MEC descumpre constituição e exclui conselho de saúde das decisões sobre formação na área
 
Encontro dos conselhos profissionais reforça posicionamento contrário ao ensino à distância (EaD) para a área da saúde
 
Audiência pública debate ensino superior à distância para área de saúde
 
Ensino a Distância na saúde
Publicação: encontro de formação profissional na área da saúde
CFFa entrará com ação judicial contra portaria do MEC sobre EaD

Responda