Dia Mundial da Conscientização do Autismo

Para derrubar preconceitos e esclarecer as pessoas sobre esse transtorno do neurodesenvolvimento, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou, em 2017, o Dia Mundial do Autismo. A data, comemorada mundialmente em 2 de abril, tem a finalidade de conscientizar sobre os “Transtornos de Espectro Autista” – TEA e como lidar com eles.

No Brasil a “Lei Berenice Piana”, Lei nº 12.764 de 2012, estabeleceu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo, regulamentada pelo Decreto nº 8.368, de 2014, que garante os direitos dos autistas e os equipara às pessoas com deficiência. Diversos pontos turísticos são iluminados em azul, cor que simboliza o autismo.

O TEA pode se apresentar de variadas formas, entre elas, destaca-se as dificuldades de comunicação. A manifestação é única para cada pessoa, da mesma forma que o grau em que se apresenta.

Há uma diversidade de abordagens de tratamento de pessoas com TEA, o qual é personalizado e interdisciplinar. Qualquer que seja a opção escolhida, pais, familiares, cuidadores e escola devem estar envolvidos no processo. O fonoaudiólogo integra a equipe interdisciplinar, com objetivo principal de promover a comunicação, além de avaliar e tratar, se necessário, fala, alimentação, funções orofaciais e audição.

Considerando que há uma variabilidade de abordagens para o tratamento do ponto de vista científico, o fonoaudiólogo, após avaliação individual, tem autonomia para selecionar as possibilidades terapêuticas, justificando-as para equipe e família. O tratamento deve ser iniciado o quanto antes, mesmo que o diagnóstico não tenha ainda sido confirmado, uma vez que o quanto antes comecem as intervenções, maiores são as possibilidades de melhora na qualidade de comunicação.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no whatsapp